Make your own free website on Tripod.com

Assalto a prédio é um desafio a ser enfrentado por síndico, funcionários e moradores

  

Os condomínios têm sido o alvo preferido pelos assaltantes, que, para entrar em um prédio, usam as formas mais inusitadas e surpreendentes, burlando esquemas perfeitos de segurança.
Dessa forma, medidas urgentes devem ser postas em prática, para que o condomínio afaste de vez os riscos da invasão dos assaltantes. Isso pode ser feito através da instalação de aparelhos de segurança, acompanhado de um programa rígido de segurança que envolve esclarecimentos, campanhas de orientação, preparos, treinamentos para funcionários e moradores.
Nesse programa de segurança que deve ser criado pela administração do condomínio deve fazer parte alguns itens indispensáveis, além do treinamento e preparo específico para qualificação dos funcionários, medidas e procedimentos da direção do prédio e alerta aos moradores, que entre eles são: o controle rígido na contratação de funcionários, exigindo que os mesmos apresentem atestado de antecedentes que podem ser requeridos na Delegacia de Polícia; a identificação detalhada no momento de receber prestadores de serviço, como, por exemplo, Telefônica, Sabesp; checagem essa que deve ser registrada no livro de entrada do condomínio, constando nome do profissional, qual a finalidade do trabalho; os serviços do tipo delivery (entregadores de pizza, flores) não precisam necessariamente que o entregador vá até o apartamento, o morador pode retirar a encomenda na portaria; e orientações aos moradores, que deverão tomar muito cuidado com o crachá de estacionamento de identificação do condomínio ao deixarem à vista permitindo que estranhos o vejam; redobrar os cuidados no momento de acionar o controle remoto na entrada da garagem e evitar abrir a porta do apartamento para estranhos, mesmo com a presença de funcionário do prédio.
Quanto aos aparelhos de segurança, eles devem ser adquiridos por meio de empresas idôneas, que deverão enviar um técnico até o condomínio, para conhecer o local e avaliar e decidir pelo equipamento mais adequado. Portanto, com a instalação de aparelhos que barrem e inibem a ação de ladrões, a preparação de funcionários, que impeçam a entrada de visitantes suspeitos e operem corretamente os equipamentos antiassaltos somada à efetiva atuação dos moradores, colaborando com síndico e funcionários no funcionamento do sistema de segurança, estará formado o tripé necessário para acabar de vez com a violência nos prédios.

TIPOS DE EQUIPAMENTOS
Alarmes- O alarme deve ser instalado ao lado do profissional de portaria, pois em caso de necessidade de acioná-lo, o mesmo não poderá ficar distante do seu local de trabalho. Por isso, esse aparelho com acionamento manual deverá ser instalado sob a mesa ou no chão, propiciando que o porteiro acione com as mãos ou com os pés em caso de emergência. É importante que o alarme seja instalado em outros locais, como salão de festas, casa das máquinas, mas desde que o equipamento seja bem protegido evitando ficar exposto.
Em caso de acionamento do alarme, o aparelho, além de comunicar a Polícia, deverá avisar também o síndico e o zelador.
Monitoramento 24 horas Esse indispensável recurso de segurança contra assaltos funciona por meio da instalação de uma central de alarme microprocessada no prédio que se reporta, via linha telefônica, à uma central operadora. Em caso de emergência, a central de monitoramento é acionada e em seguida comunicado o cliente e tomadas as providências necessárias. A instalação do aparelho e o monitoramento são feitos por empresas especializadas que contam também com apoio de viaturas e rondas programadas.
Câmara falsa – Esse tipo de instalação pode ser feito desde que o prédio possua um sistema completo de circuito fechado, e as câmeras falsas deverão ser colocadas no mesmo padrão das demais, funcionando como um recurso adicional.
Circuito fechado de TV – Muito eficiente, este sistema que mostra e registra tudo que ocorre no prédio, por meio de um monitor, o funcionário faz a vigilância da parte interna e das imediações do condomínio. Com o circuito de TV é possível também o morador através do aparelho de TV visualizar de seu apartamento o visitante na entrada do edifício.
Simples de operar, esse equipamento permite ao síndico, da sua sala de trabalho programar o equipamento, e o vigilante acompanhar pelo monitor (na guarita) a circulação das pessoas, podendo também ser interligado na internet na qual o síndico pode acessar e visualizar o condomínio de outro local.
A gravação das ocorrências é um recurso muito útil, que oferece ao síndico provas necessárias para apuração de sinistros no prédio.
Cabine do elevador; garagem – toda parte do estacionamento, inclusive na entrada e saída dos veículos; corredores, hall social e de serviços são as áreas que precisam de circuito fechado.
Cerca eletrificada – As cercas elétricas não podem ser instaladas sem antes conhecer bem seu funcionamento. Existem critérios que só técnicos podem executar a instalação de forma certa e segura.
Tem a eletrificação feita por meio de corrente pulsante. Essa forma de proteção aos muros é através de uma corrente intermitente, com voltagem alta, e a corrente baixa e como ela é intermitente, esse sistema não provoca a contração dos músculos de quem toca no equipamento. Já no caso de outras proteções como no caso do eletrificador de cerca tipo CP-8000, produzido de acordo com as normas francesas NCF 15.140 e NCF 78.200, além do IEC (International Eletrotecnnical Comission), esse equipamento barra o acesso de intrusos, emitindo um choque elétrico.

Interfones, telefones – Indispensáveis nas portarias, esses aparelhos permitem a comunicação do porteiro com os moradores, principalmente para anunciar visita aos apartamentos, evitando dessa maneira a entrada de estranhos no prédio. Já, através de uma linha telefônica na portaria central , o vigilante consegue chamar a Polícia e evitar que o prédio seja assaltado.
Recepção/Entrada – O local que recepciona as pessoas deve ser construído em posição estratégica, além de seguir algumas regras básicas e estar de acordo com as normas de segurança. Entre algumas características da guarita, a portaria deverá ser única, tendo como obstáculos grades e portões fabricados com materiais leves, mas resistentes, devendo seu sistema de abertura ser eletrônico. Precisa ser bastante iluminada, revestida internamente com vidros à prova de balas e com película de proteção visual tendo de ser dotada de sanitário e com porta resistente.
Portão automático – A entrada da garagem é um momento delicado, pois enquanto abre-se o portão para a entrada do carro, é possível que estranhos entrem despercebidamente no edifício. Por isso, antes de instalar esse equipamento é fundamental que um técnico vá até o local, para que ele determine qual o modelo mais apropriado a ser instalado.
Quanto a portões acionados por controle remoto, pelo próprio condômino, estes requerem um cuidado muito especial, por deixar o morador desguarnecido no momento de entrar na garagem.

 

Voltar á Página das Responsabilidades de Cada Um

Voltar á Página de Dicas

Ir á Página de Como os Ladrões Agem